quarta, 05 de outubro de 2022
Lista

Dia dos Namorados: O amor na palavra escrita


Dia dos Namorados: O amor na palavra escrita

Entre tantas versões da origem do Dia dos Namorados, a “oficial” remonta ao Império Romano. No século 3, o bispo Valentim teria sido preso e condenado à morte por desrespeitar as ordens do Imperador Claudio II, que proibira a celebração de casamentos por achar que homens solteiros dariam melhores guerreiros. Dizem que enquanto esperava a execução, Valentim recebeu bilhetes e cartas com mensagens que valorizavam o amor, a paixão e o casamento. A data da decapitação, 14 de fevereiro de 270, foi declarada como o Dia de São Valentim no século 5, pelo papa Gelásio I.

Europa e Estados Unidos permanecem fiéis ao Valentine’s Day, enquanto os brasileiros comemoram o amor em 12 de junho. A razão? Uma campanha publicitária realizada em 1949 por João Dória, pai do ex-governador de São Paulo. Para alavancar o comércio, ele criou o slogan “não é só com beijos que se prova o amor”, lançado na véspera do 13 de junho, Dia de Santo Antônio, o santo casamenteiro. A ideia pegou e aqui estamos. Em tempos digitais, de amores fluidos, imediatismo e emojis, OQVER festeja o romantismo com uma ficção e dois documentários sobre cartas de amor. Na Netflix, o sucesso A Última Carta de Amor, e nos cinemas, a estreia dos documentários Escrita Íntima e Espero Que Esta Te Encontre e Que Estejas Bem. Confira a Lista Especial, com direito a entrevista exclusiva em vídeo com os diretores dos documentários. 


Romance
A Última Carta de Amor/The Last Letter from Your Lover

A Última Carta de Amor/The Last Letter from Your Lover

Adaptação do best-seller da britânica Jojo Moyes, também autora de Como Eu Era Antes de Você, A Última Carta de Amor, é um sucesso da Netflix. Dirigido por Augustine Frizzell (série Euphoria), o filme começa na Londres de 1965, com Jennifer Stirling (Shailene Woodley, O Mauritano) de volta à sua mansão ao lado do marido, Lawrence (Joe Alwyn, A Longa Caminhada de Billy Lynn). Ela estava no hospital e não se lembra de nada antes do acidente que lhe rendeu um corte no rosto. Todos lhe são solícitos em suas tentativas de recuperar a memória, mas a sensação de que há algo errado se confirma quando encontra uma carta de amor endereçada à ela, assinada apenas por B.

Para desvendar o mistério, o enredo salta para a Londres do presente, onde a jornalista Ellie Haworth (Felicity Jones, Suprema) descobre uma das cartas dos amantes nos arquivos do The London Chronicle, durante pesquisa para uma matéria. Ainda em crise pelo fim de uma relação de oito anos, ela acha o texto tão romântico que fica obcecada em descobrir quem seria o B. da assinatura e desvendar a história desse amor. Para isso, precisa da ajuda do tímido arquivista Rory (Nabhaan Rizwan, 1917), que entra na onda detetivesca.

A Última Carta de Amor/The Last Letter from Your Lover

Com os núcleos temporais a correr em paralelo, A Última Carta de Amor se desdobra em dois gêneros. No passado se desenrola um drama romântico clássico e elegante, com figurinos de época irretocáveis e direção de arte de encher os olhos. O autor das cartas se revela como o jornalista Anthony O’Hare (Callum Turner, Emma.), que trabalhava no mesmo The London Chronicle. Já o bloco do presente é uma legítima comédia romântica, com Ellie e Rory se aproximando na medida em que investigam o desfecho da paixão adúltera entre Jennifer e O’Hare.

Essa bifurcação impede um cuidado maior com o florescer de cada amor, o que talvez explique algumas faíscas a menos entre os casais. Verdade também que os desenlaces são abruptos e deixam a incômoda sensação de que o livro de quase 400 páginas se encolheu na marra para caber nas pouco menos de duas horas da versão para o cinema. Mesmo acelerada, a narrativa é envolvente e faz o link entre os dois tempos com uma injeção romântica daquelas de arrancar suspiros. 




Trailer

Ficha Técnica

Título: A Última Carta de Amor/The Last Letter from Your Lover
Direção: Augustine Frizzell
Duração: 110 minutos

País de Produção/Ano: Reino Unido, França, 2021
Elenco: Shailene Woodley, Joe Alwyn, Callum Turner, Felicity Jones, Nabhaan Rizwan, Ncuti Gatwa
Distribuição: Netflix


Assista Agora!
Netflix

Documentário
Espero Que Esta Te Encontre e Que Estejas Bem

Espero Que Esta Te Encontre e Que Estejas Bem

Durante pesquisas para um outro projeto cinematográfico, na Praça XV, no centro do Rio de Janeiro, a diretora e roteirista Natara Ney se deparou com um maço de 180 cartas, escritas num período entre 1952 e 1953. Nelas, a história de amor entre Lúcia e Oswaldo. Encantada e curiosa em saber o que havia acontecido com aquele casal apaixonado, ela realizou Espero Que Esta Te Encontre e Que Estejas Bem, documentário precioso que marca sua estreia no comando de longas.

Espero Que Esta Te Encontre e Que Estejas Bem

No filme, Natara faz um verdadeiro trabalho de detetive em busca de Lúcia e Oswaldo, sem saber o que encontraria no caminho. No texto das cartas, a apaixonada Lúcia se dirige ao amado. Ela, moradora de Campo Grande (MS), ele, do Rio de Janeiro. Ao longo de sete anos, desde a descoberta das correspondências até a finalização da produção, Natara filmou em Campo Grande e Rio Janeiro, e inseriu no documentário a sua própria história de amor, além da retratar a sociedade daquela época. Impossível não se comover. Confira a seguir nosso papo em vídeo, em que Natara fala de amor, claro, mas também do tempo e da memória.




Trailer

Ficha Técnica

Título: Espero Que Esta Te Encontre e Que Estejas Bem
Direção: Natara Ney
Duração: 90 minutos

País de Produção/Ano: Brasil, 2022
Elenco: Natara Ney
Distribuição: Embaúba Filmes


Garanta seu Ingresso!
Ingresso.com

Documentário
Escrita Íntima/Vieirarpad

Escrita Íntima/Vieirarpad

Coprodução entre Brasil e Portugal, Escrita Íntima, de João Mário Grilo, revela a história pessoal e da época através da correspondência da portuguesa Maria Helena Vieira da Silva e do húngaro Arpad Szenes entre 1932 e 1961. O documentário segue pistas deixadas por cartas, pinturas, fotografias e memórias, para resgatar o legado artístico do casal, que se refugiou no Rio de Janeiro durante a Segunda Guerra.

Escrita Íntima/Vieirarpad

O projeto Escrita Íntima foi realizado a convite da Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva (FASVS), em Portugal, na sequência da exposição Escrita Íntima e da publicação do livro homônimo que reuniu a correspondência particular entre Vieira e Arpad. O olhar do cineasta, muito próximo da pintura e fascinado pela interação cultural, debruça-se sobre a arte dos dois pintores e a emocionante história de amor que os manteve juntos por mais de cinco décadas.

Em conversa por vídeo com OQVER, João Mário Grilo vai além de seus biografados para falar da arte do viver e do amar.




Trailer

Ficha Técnica

Título: Escrita Íntima/Vieirarpad
Direção: João Mario Grilo
Duração: 90 minutos

País de Produção/Ano: Brasil, Portugal, 2022
Elenco: Maria Helena Vieira Da Silva, Arpad Szenes
Distribuição: Zulfilmes


Garanta seu Ingresso!
Ingresso.com

Compartilhe!

Suzana Uchôa Itiberê

Suzana Uchôa Itiberê

Posts do Autor

Cinéfila incorrigível, jornalista de plantão, crítica de cinema (não muito) chatinha e editora caprichosa. Cria do jornal O Estado de S. Paulo, trabalhou nas revistas TVA, Set, Istoé Gente e foi cofundadora da revista Preview. Membro da Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema).

Comentar

* Informação requerida
1000
Iamgem do Captcha

Comentários (0)

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro!