quinta, 25 de fevereiro de 2021

Vigilância silenciosa


Vigilância silenciosa

Faz tempo que o Big Brother não é mais exclusivo da fictícia distopia futurista 1984, escrita por George Orwell em 1949. Quem nunca se sentiu vigiado quando pesquisa um produto na internet, e do nada passa a ser bombardeado por anúncios desse item em outras páginas?

Em tempos em que o acesso a dados sigilosos tem provocado investigação até no Palácio da Alvorada, em Brasília, garimpamos dois filmes de gêneros diferentes que abordam a invasão de privacidade e a coleta de dados para controlar e manipular a vida e a opinião das pessoas em benefício de grandes corporações e políticos.

Na ficção científica O Círculo, estrelada por Emma Watson e Tom Hanks, satélites onipresentes observam a população conectada por celulares pelos cinco continentes do planeta. Já o documentário Privacidade Hackeada analisa o uso das informações digitais que liberamos cada vez que estamos conectados a algum dispositivo artificial.


Drama Thriller
O Círculo/The Circle

O Círculo/The Circle

POR SUZANA UCHÔA ITIBERÊ

O eterno bom moço de Hollywood, Tom Hanks finalmente se arriscou em um personagem obscuro em O Círculo. Trata-se de um magnata do Vale do Silício, fundador da empresa de tecnologia Círculo, um misto de Google com Facebook. O que ele defende a um séquito de funcionários devotados é o fim da privacidade, por um motivo que diz ser muito nobre: “Ninguém mente quando está sendo observado”. Oi? A empresa é uma potência e o sonho de consumo da personagem de Emma Watson (Adoráveis Mulheres), que trabalha em um call center burocrático.

Ela quase surta quando uma amiga funcionária do Círculo lhe consegue uma entrevista. Obviamente conquista a vaga e aos poucos se acostuma com as regras sociais, que exige a participação em todos os eventos promovidos pelos colega. Sua vida pessoal é problemática. O pai é doente e a mãe carrega um fardo pesado. Aqui vale uma nota: os pais da protagonista são interpretados por Bill Paxton e Glenne Headly, que morreram precocemente em 2017. Já com o amigo de infância (Ellar Coltrane, de Boyhood) ela entra em conflito ideológico, pois ele critica o sistema de vigilância promovido pela empresa.

O escritor Dave Eggers assina a adaptação de seu livro homônimo em parceria com o diretor, James Ponsoldt (O Maravilhoso Agora), mas o enredo demora a engrenar. O que deveria esquentar a trama é o sucesso relâmpago da protagonista na empresa, que veste a camisa a ponto de se deixar observar 24 horas por dia. Ora, e o que tem isso de ousado em um mundo ditado por reality shows de todos os estilos e formatos?

A questão a ser discutida é o fim da privacidade, um tema instigante e complexo aqui tratado de maneira simplista. O Círculo se limita a lançar a polêmica, mas não desanime. Dá para entreter, rende um bom debate e não é todo dia que Tom Hanks aparece com pinta de vilão.




Trailer

Ficha Técnica

Título: O Círculo/The Circle
Direção: James Ponsoldt
Duração: 110 minutos

País de Produção/Ano: EUA/França/Emirados Árabes, 2017
Elenco: Tom Hanks, Emma Watson, Ellar Coltrane, John Boyega, Bill Paxton, Gleene Headly
Distribuição: Imagem Filmes


Assista Agora!
iTunes Looke Google Play Youtube Vivo Play Telecine Play

Documentário
Privacidade Hackeada/The Great Hack

Privacidade Hackeada/The Great Hack

Agora, mais do que nunca, vale assistir a Privacidade Hackeada, documentário sobre manipulação irregular de dados. Os diretores egípcios Karim Amer e Jehane Noujaim assumiram uma empreitada complexa e arriscada ao dirigir suas lentes para um dos maiores escândalos contemporâneos ligados à tecnologia e às redes sociais, mas a cumpriram com rigor técnico e conteúdo inquestionáveis. O filme investiga a atuação do Facebook e da Cambridge Analytica, empresa de inteligência digital e estratégia política, em dois momentos cruciais de 2016: a eleição presidencial de Donald Trump e o Brexit, o plebiscito que decidiu pela saída da Inglaterra da União Europeia.

Há três fontes principais nesse aterrador quebra-cabeça da política, da tecnologia e da privacidade no mundo atual. David Carroll, professor universitário de design digital em Nova York, entrou com uma ação na justiça contra a utilização de seus dados sem consentimento. Brittany Kaiser, alta executiva da Cambrigde Analytica por seis anos, possuía informações preciosas sobre as duas empresas. E Carole Cadwalladr, jornalista do britânico The Guardian, foi finalista do Prêmio Pulitzer de 2019 pelas reportagens sobre o escândalo, que questiona a viabilidade de eleições democráticas face à manipulação de informações digitais privadas.

Os três mostram como todo cidadão deixa milhares de rastros digitais no seu dia a dia, colhidos à revelia e em tempo real por corporações de tecnologia, e utilizados para fins comerciais e eleitorais. Também denunciam como a Cambridge Analytica era contratada por políticos para mapear o cenário eleitoral e elaborar estratégias de manipulação desses dados digitais em campanhas maciças de fake news e memes nas redes sociais, principalmente do Facebook, dono do WhatsApp. Revelam ainda como os principais alvos das campanhas eram  eleitores que os dados apontavam como passíveis de persuasão (persuadables, em inglês).

O escândalo tornou-se alvo de investigação federal na Inglaterra e nos Estados Unidos, e a Cambridge Analytica fechou. Os vereditos, no entanto, não invalidaram as eleições ou o plebiscito, nem a estratégia ilegal que continua a se repetir em outros países. Mas o caso colocou em evidência o valor das informações digitais, já superior ao do petróleo, e seu potencial de arma de alto calibre nas guerras políticas e culturais. Também fortaleceu a luta pela privacidade digital ser tratada como um dos novos direitos humanos.




Trailer

Ficha Técnica

Título: Privacidade Hackeada/The Great Hack
Direção: Karim Amer, Jehane Noujaim
Duração: 114 minutos

País de Produção/Ano: EUA, 2019
Elenco: Brittany Kaiser, David Carroll, Carole Cadwalladr
Distribuição: Netflix


Assista Agora!
Netflix

Compartilhe!

Fátima Gigliotti

Fátima Gigliotti

Posts do Autor

Cinéfila incorrigível, jornalista, editora, professora (não muito), crítica (chatinha) de cinema e audiovisual. Trabalhou no jornal A Folha de São Paulo, na coleção Cinemateca Veja, nas revistas TVA, Ver Vídeo, Set, Querida e Preview.

Comentar

* Informação requerida
1000
Iamgem do Captcha

Comentários (0)

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro!