domingo, 17 de janeiro de 2021

Cor-de-Rosa Choque


Cor-de-Rosa Choque

No mês em que se comemora o Dia da Mulher, três filmes populares da Netflix têm mulheres como protagonistas em papéis fora da curva dos costumeiros padrões de Hollywood. Natalie, Willowdean e Sierra Burgess reafirmam, cada uma a seu modo, que “dondoca é uma espécie em extinção”, como canta Rita Lee.


Comédia Romântica
Megarrromântico/Isn't It Romantic

Megarrromântico/Isn't It Romantic

A australiana Rebel Wilson (a trilogia A Escolha Perfeita) disse em entrevista sobre Megarromântico que,  apesar de o tamanho médio da mulher americana ser entre 48 e 50, “meu número”, nos filmes nunca é assim, menos ainda em comédias românticas, em que “mulheres grandes” em geral são a amiga divertida da protagonista.

Sua personagem, Natalie, não poderia ter uma intérprete mais perfeita. Ela é a arquiteta talentosa, independente, boazinha, azarada, sempre passada para trás no escritório em que trabalha. Solitária, não acredita em romances e odeia comédias românticas. Quando é agredida por um ladrão no metrô de Nova York, sofre uma contusão e acorda... numa comédia romântica, com direito inclusive a um tremendo príncipe encantado, Blake (o conterrâneo Liam Hemsworth, de Jogos Vorazes).

O filme brinca com as narrativas típicas do gênero com humor, leveza e ironia, incluindo até divertidos números musicais. Além de Blake, há a melhor amiga (Betty Gilpin), o amigo gay (Brandon Scott Jones) e o amigo fiel que deseja ser mais (Adam Devine, com quem Rebel fez par romântico em A Escolha Perfeita).  

É verdade, porém, que o enredo acaba caindo nas mesmas armadilhas narrativas que a protagonista tanto critica. Ainda assim, há um frescor reconfortante.

PS – seria muito mais acertado fazer a tradução literal do título original, “Não é romântico?”. O título em português tem um duplo sentido de gosto duvidoso, no mínimo.    




Trailer

Ficha Técnica

Título: Megarrromântico/Isn't It Romantic
Direção: Todd Strauss-Schulson
Duração: 89 minutos

País de Produção/Ano: EUA, 2018
Elenco: Rebel Wilson, Liam Hemsworth, Adam Devine, Priyanka Chopra, Betty Gilpin, Brandon Scott Jones
Distribuição: Netflix


Assista Agora!
Netflix

Comédia Dramática
Dumplin'

Dumplin'

Jennifer Aniston é o chamariz da produção original da Netflix. Dumplin’, que significa fofinha em tradução livre, é o apelido que sua personagem, Rosie, deu à filha, Willowdean (Danielle Macdonald).

Adolescente gorducha, Willowdean foi praticamente criada pela tia, Lucy (Hilliary Begley), também obesa. Como se não bastasse, Rose é uma ex-miss cuja vida gira em torno do badalado concurso de beleza da cidadela do Texas onde moram.  

A adaptação do romance de Julie Murphy pela cineasta Anne Fletcher (A Proposta) é ambientada no presente, mas repare que as personagens vivem muito mais no mundo real do que no virtual. Não há aquelas trocas de mensagens em balões gráficos na tela, e nem o bullying contra as gordinhas praticado nas redes sociais – visto em outros filmes sobre o tema.

Quando Willowdean descobre que a tia Lucy sonhava participar de um concurso de beleza, mas não teve coragem, ela decide desafiar a mãe e seus detratores e se inscreve para a próxima competição. E leva junto outras colegas “outsiders”.

A trilha sonora é nostálgica, amparada nos sucessos da rainha do country Dolly Parton, e o roteiro não se limita a tratar a obesidade pelo ponto de vista estético. Em um dos confrontos com a filha, Rosie enfatiza a morte precoce de Lucy.

Voltado para o público feminino, Dumplin’ é leve, adocicado e um tantinho inverossímil, mas acerta ao abordar um assunto polêmico sem hipocrisia. As pessoas precisam gostar de si mesmas, essa é a mensagem positiva, porém o alerta é claro: obesidade faz mal à saúde, sim.




Trailer

Ficha Técnica

Título: Dumplin'
Direção: Anne Fletcher
Duração: 110 minutos

País de Produção/Ano: EUA, 2018
Elenco: Danielle Macdonald, Jennifer Aniston, Odeya Rush, Maddie Baillio, Luke Benward
Distribuição: Netflix


Assista Agora!
Netflix

Comédia Romântica
Sierra Burgess é uma Loser/Sierra Burgess is a Loser

Sierra Burgess é uma Loser/Sierra Burgess is a Loser

Primeiro, as principais referências – há muitas. Sierra Burgess é uma Loser (que título infeliz!) é uma adaptação teen da peça Cyrano de Bergerac, de Edmond Rostand. A receita já havia dado certo com Ela é Demais e 10 Coisas que eu Odeio em Você, de 1999, versões, respectivamente, das peças Pigmalião, de George Bernard Shaw, e A Megera Domada, de William Shakespeare. Alan Ruck (Curtindo a Vida Adoidado) e Lea Thompson (Alguém Muito Especial), que interpretam os pais da protagonista, fazem a ponte com os filmes adolescentes já clássicos de John Hughes. Além deles, a ligação com os anos 1980 está em certos aspectos da ambientação e da trilha sonora do filme.

Sierra Burgess (Shannon Purser, de Strange Things e Riverdale) é a adolescente inteligente acima da média e “bonita” abaixo da média para determinados padrões: gordinha, grandalhona, meio desajeitada, e ainda por cima, filha de pais ainda casados, felizes e bem-sucedidos. Seu melhor amigo é o gay bem resolvido Dan (RJ Cyler, de Eu, Você e a Garota Que Vai Morrer). Veronica (Kristine Froseth, modelo e atriz norueguesa) é a bela da escola. E Jamey (Noah Centineo, de Para Todos os Garotos Que Já Amei), o líder bonitão do time de futebol americano.

Em um típico ato de bullying, Veronica dá o telefone de Sierra para Jamey, e os dois começam um relacionamento virtual. Quando chega a hora inevitável do olho no olho, Sierra pede a Veronica para ir em seu lugar. Em troca, dá aulas de filosofia para Veronica reconquistar o namorado universitário que a descartou. Até o disfarce cair por terra, o quarteto vai viver situações embaraçosas e desconfortáveis.

Há boas intenções no filme, com inversões de papeis. A protagonista é a desajeitada, mas feliz. A amiga rejeitada de lar desfeito é a queridinha e bela da vez.  O garoto cobiçado do colégio é sensível, quem diria. Inimigas dos corredores da escola, a “bela” e a “nerd patinho feio” têm mais em comum do que imaginavam.

Sierra fala de Platão, Aristóteles e Nietzsche para Veronica. Como o pai de Sierra é escritor famoso, há também muitas citações literárias. O quarteto de protagonistas, além de simpático, é talentoso. A promessa de novos ares não se concretiza, no entanto, basicamente porque o roteiro escorrega feio na segunda metade, e cria situações inverossímeis, levianas até, mesmo se tratando de adolescentes.




Trailer

Ficha Técnica

Título: Sierra Burgess é uma Loser/Sierra Burgess is a Loser
Direção: Ian Samuels
Duração: 105 minutos

País de Produção/Ano: EUA, 2018
Elenco: Shannon Purser, Kristine Froseth, RJ Cyler, Noah Centineo, Loretta Devine, Lea Thompson, Alan Ruck, Chrissy Metz
Distribuição: Netflix


Assista Agora!
Netflix

Compartilhe!

Fátima Gigliotti

Fátima Gigliotti

Posts do Autor

Cinéfila incorrigível, jornalista, editora, professora (não muito), crítica (chatinha) de cinema e audiovisual. Trabalhou no jornal A Folha de São Paulo, na coleção Cinemateca Veja, nas revistas TVA, Ver Vídeo, Set, Querida e Preview.

Comentar

* Informação requerida
1000
Iamgem do Captcha

Comentários (0)

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro!