quarta, 14 de abril de 2021

As Loucuras de Rose


As Loucuras de Rose
Assista Agora!
Vivo Play NET NOW Google Play iTunes

Às vezes acontece de um filme chegar assim como quem não quer nada, com cara de genérico, e pegar o espectador de surpresa. As Loucuras de Rose é uma comédia dramática musical que desvia dos clichês de tramas do tipo “nasce uma estrela” para contar uma história comovente, sim, mas pé no chão.

Interpretada pela revelação irlandesa Jessie Buckley, que é cantora e atriz (série Chernobyl), a protagonista Rose-Lynn sonha deixar Glasgow, na Escócia, e migrar para a capital mundial da música country, Nashville, nos Estados Unidos. Ela acaba de sair da prisão, onde passou um ano por tráfico de drogas. A primeira parada é na casa de um affair, para um sexo rápido. É na segunda que recebe um choque de realidade. A mãe (Julie Walters) atende a porta e duas crianças vêm recepcioná-la.

É isso. Rose-Lynn é mãe solteira, o que não a torna mais responsável. Ela mal chega e já quer ir embora atrás do seu sonho musical. A mãe a puxa de volta para a realidade e lhe arruma emprego de faxineira na casa de uma ricaça (Sophie Okonedo). Só que essa mulher meio entediada descobre o talento da empregada e alimenta seu desejo de ser estrela country.

De um lado, a música. Do outro, a família. No meio, a escolha. Podia descambar fácil para o dramalhão, mas o enredo promove reviravoltas com uma certa ironia e não tem medo de esmiuçar as imperfeições dessa jovem em encruzilhada. As Loucuras de Rose é no fundo uma história de amadurecimento, mas sem tediosas lições de moral e com um desfecho tão lúcido quanto esperançoso.




Trailer

Ficha Técnica

Título: As Loucuras de Rose/Wild Rose
Direção: Tom Harper
Duração: 101 minutos

País de Produção/Ano: Reino Unido, 2018
Elenco: Jessie Buckley, Julie Walters, Sophie Okonedo, Matt Costello, Jane Patterson
Distribuição: Diamond Films

Assista Agora!
Vivo Play NET NOW Google Play iTunes

Compartilhe!

Suzana Uchôa Itiberê

Suzana Uchôa Itiberê

Posts do Autor

Cinéfila incorrigível, jornalista de plantão, crítica de cinema (não muito) chatinha e editora caprichosa. Cria do jornal O Estado de S. Paulo, trabalhou nas revistas TVA, Set, Istoé Gente e foi cofundadora da revista Preview. Membro da Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema).

Comentar

* Informação requerida
1000
Iamgem do Captcha

Comentários (0)

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro!