sexta, 27 de novembro de 2020

O Fim da Viagem, O Começo de Tudo


O Fim da Viagem, O Começo de Tudo
Assista Agora!
NET NOW

O prolífico, versátil e premiado diretor japonês Kiyoshi Kurosawa, cultuado na Europa e Ásia como um artesão do suspense, horror e ficção científica, retoma a parceria, de O Sétimo Código e Antes que Tudo Desapareça, com Atusko Maeda, ex-estrela pop do grupo AKB48. Desta vez, apesar de algumas marcas de seu estilo, o gênero é outro, bem mais próximo do drama.

Yoko (Atsuko) é a única mulher da equipe de reportagem do programa de variedades da TV japonesa no qual trabalha. Esta está no Uzbequistão para gravar um episódio sobre o país, acompanhada de um diretor relapso (Shota Sometani), um simpático câmera (Ryo Kase), um zeloso assistente (Tokyo Emoto) e um charmoso tradutor local, Temur (Adiz Rajabov). Yoko nota os olhares surpresos e intimidadores de alguns locais e não é de espantar que se comova com um cabrito doméstico preso num cercadinho, e transforme a libertação dele numa pauta do programa. 

De cidade em cidade, no intervalo das gravações, Yoko vagueia por arriscados e bizarros bairros labirínticos, e chega até a ser detida pela polícia. Um dia, num teatro histórico da capital Toshkent, fantasia que está cantando no palco. Vivendo um dilema pessoal, distante do namorado, ela parece refém de um alheamento, talvez defensivo, talvez deprimido, ou os dois, espelhado no incômodo desinteresse da equipe pela cultura genuína e diversa a seu dispor.

Há simbolismos ao longo de toda a produção, explícitos e implícitos, acertados ou não. É curioso que um filme realizado para comemorar os 25 anos de relações diplomáticas entre o Japão e o Uzbequistão, seja apenas incidentalmente turístico. Nem tanto, que desperte reflexões sobre respeito às diferenças, o papel da mídia no mundo atual, e o comportamento do japonês – ou da equipe de repórteres japoneses, pelo menos, face ao estrangeiro.

O Fim da Viagem, O Começo de Tudo, exibido no encerramento do Festival de Cinema de Locarno, na Suíça, é mesmo sobre a incomunicabilidade. Kurosawa, pelo menos dessa vez, não é apocalíptico. Frente a uma Yoko monossilábica e perdida, o amável chefe de polícia de Toshkent pondera: “Nós não podemos conhecer um ao outro a não ser pelo diálogo”. No desfecho do filme, o diretor, talvez acrescente: e também pela arte.




Trailer

Ficha Técnica

Título: O Fim da Viagem, O Começo de Tudo/Tabi no Owari, Sekai no Hajimari
Direção: Kiyoshi Kurosawa
Duração: 120 minutos

País de Produção/Ano: Japão, Qatar, Uzbequistão, 2019
Elenco: Atsuko Maeda, Adiz Radjabov, Shota Sometani, Tokio Emoto, Ryo Kase
Distribuição: Zeta Filmes

Assista Agora!
NET NOW

Compartilhe!

Fátima Gigliotti

Fátima Gigliotti

Posts do Autor

Cinéfila incorrigível, jornalista, editora, professora (não muito), crítica (chatinha) de cinema e audiovisual. Trabalhou no jornal A Folha de São Paulo, na coleção Cinemateca Veja, nas revistas TVA, Ver Vídeo, Set, Querida e Preview.

Comentar

* Informação requerida
1000
Iamgem do Captcha

Comentários (0)

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro!